[ Fechar ]

01:35 Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017


Notícias - Região


Aborto, suicídio e Bíblia queimada: Exposição em colégio de Cambé gera revolta

image-1

A Polícia Civil de Cambé, investiga uma exposição realizada no Colégio Estadual Dom Geraldo Fernandes. A mostra tratou de temas como suicídio, aborto e intolerância religiosa. Um inquérito foi aberto depois que um pai de aluno procurou a polícia.

A exposição foi feita por alunos, com a orientação de uma professora, que segundo pessoas envolvidas, pretendia protestar contra os crimes sexuais cometidos por padres.

Na ocasião foram queimadas páginas da Bíblia e, sobre um púlpito, foram coladas manchetes de jornais. Aborto e suicídio também foram embutidos de alguma forma na “mostra artística”.

Uma das obras é uma boneca pendurada por uma corda: ela questiona se o suicídio é a “solução para os seus defeitos”. Também são exibidos objetos usados para abortar. A mostra, aliás, foi interpretada por muitos pais como apologia ao aborto.

O vereador Paulo Soares (PTB) divulgou as imagens da exposição nas redes sociais. O pai de um dos alunos gravou um vídeo e afirmou que muitos pais de alunos ficaram indignados com o que viram.

O assunto ganhou repercussão nacional quando o senador Magno Malta (PR/ES) enviou um e-mail à promotora Patrícia Macedopedindo que as “provas do crime” não desaparecessem durante o final de semana. Como presidente da CPI criada para investigar e combater abusos contra crianças, o senador pediu aos pais que “reajam” a esse “crime descarado” e declarou que, nesta semana, convocará o diretor da escola paranaense para depor em Brasília.

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (30), o delegado-chefe da 10ª Subdivisão Policial, Osmir Ferreira Neves, disse que a investigação foi aberta da Delegacia de Cambé, após os relatos do pai.

“Justamente para apurar se estaria ocorrendo uma apologia, uma instigação ou alguma prática ilícita, notadamente associada à instigação ao suicídio, práticas abortivas e também à intolerância religiosa”, explicou o delegado.

Ainda conforme o delegado, é importante respeitar a liberdade de expressão, que deve ser garantida, exceto em casos onde haja alguma violação à Constituição Federal ou à legislação vigente.


Fontes:

g1.globo.com

aleteia.org



Mais imagens

30 Outubro, 2017 - as 19:23

Por : Redação Dia a Dia Arapongas


Comentário(s)



Notícias relacionadas



[ Fechar ]